Search
quinta-feira 8 dezembro 2016
  • :
  • :

Os livros objeto de Julio Plaza

Para quem trabalha com design de embalagem ou adora criar materiais impactantes e fora do padrão, os cortes especiais são a melhor maneira de deixar a criatividade fluir. O impresso pode assumir qualquer forma desejada: redondo, irregular, no formato do produto ou de uma imagem que represente o serviço e conceito de venda… As possibilidades são infinitas!

Agora, usar os cortes especiais pra criar interatividade com o leitor? Melhor ainda!

Uma fonte de inspiração para essa técnica é o artista espanhol Julio Plaza. Não, ele não era publicitário nem marketeiro, era um artista plástico espanhol que tornou-se conhecido e destacado como artista multimídia e designer gráfico.

Veio pela primeira vez para o Brasil em 1967, junto com a comissão espanhola para expor sua arte na 11ª Bienal de São Paulo, e em 1973 veio novamente para ficar, atendendo aos convites para lecionar na Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP e também na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP.

Seus livros objetos foram publicados pela primeira vez em São Paulo na década de 70. Os livros eram feitos com serigrafia, usando basicamente elementos geométricos nas cores primárias azul, amarelo e vermelho, que se projetam para fora do papel através de muitos recortes especiais, dobras e vinco, formando imagens tridimensionais em formato pop up. Conforme o leitor mexe e interage com o livro as formas se transformam e ganham novos contornos.

Depois, em parceria com o poeta Augusto de Campos publicou o livro “Poemobiles”, com o mesmo conceito de livro objeto mas com versos que se escondem e se revelam dentro das formas conforme o leitor manipula o livro, fazendo com que o texto seja vivo e tridimensional, se desprendendo do velho conceito de livro estático. O livro integra a sonoridade, a visualidade e o sentido de cada palavra do poema. Genial!

As obras são grande inspiração para a era de interatividade que vivemos na comunicação e marketing hoje. Quem disse que o interativo só existe no digital?

 

Pra quem ficou curioso e quer conhecer mais sobre a vida e obra do artista, vale a pena visitar a exposição no museu MAC USP.

MAC USP Ibirapuera
Terça a domingo das 10 às 18 horas
Segunda-feira fechado
Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301
04094-050 – São Paulo – SP – Brasil
55 11 2648.0254
Entrada gratuita

5.00 avg. rating (98% score) - 4 votes


Caroline Padilha

Cursando Pós Graduação em Gestão de Comunicação e Marketing na ECA / USP, graduada em Publicidade e Propaganda na Universidade Metodista de São Paulo. 5 anos de experiência na área de Marketing e Comunicação com foco em branding, direção de arte, marketing institucional, endomarketing, marketing de relacionamento e de produto/serviços. Apaixonada por arte, cultura, design, comunicação e planejamento estratégico.


Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*