Search
sábado 10 dezembro 2016
  • :
  • :

Planejamento estratégico, o que você precisa saber?

PÚBLICO-ALVO: OU VOCÊ SABE OU TEM QUE SABER!

O sucesso de qualquer planejamento estratégico de marketing, passa invariavelmente pela clara percepção do público-alvo ou target – como chamam os americanos.

Qualquer tipo de ação ou mesmo de comunicação tem que sensibilizar o comprador de determinado produto ou serviço oferecidos.

Isso tudo pode parecer muito óbvio, porém grande parte das empresas não sabe qual o seu público-alvo e saber quem é ele, implica em ter conhecimento de alguns pontos fundamentais, como por exemplo: hábitos, costumes, ocupação, poder aquisitivo, faixa etária, nível de escolaridade e etc. Essas premissas, permeiam todos os conteúdos das ações e das comunicações. Sem ter claramente estas definições, poderemos dar um tiro no escuro, uma vez que pode-se até atingir o público-alvo, mas talvez não persuadi-lo.

Esse é outro aspecto importante a se ressaltar, o Marketing e a Propaganda não têm a pretensão de convencer ninguém, porém sempre a de persuadir alguém. Isso se explica porque o processo de convencimento – embora possa existir em alguns casos – é muito mais complexo do que se imagina. Quando uma pessoa está convicta do que quer, ela deixa de ser um potencial consumidor, de determinado produto, por acreditar que o outro a atende da maneira plena e irreversível.

Diante disso, essa pessoa que tem todos os requisitos de público-alvo, talvez não mereça um esforço individual, no sentido de tentar mudar sua opinião é mais ou menos como insistir para que um corintiano torne-se um palmeirense ou vice-versa.

Portanto, definir o seu potencial consumidor, não é uma tarefa tão simples quanto parece. Para atingirmos isso, necessitamos de algumas atitudes, que passam desde a concepção do produto ou serviço e as demais variáveis como: política de preço, comunicação, distribuição, filosofia da empresa, tecnologia e etc. Até as escolhas dos veículos de comunicação, passando pela forma e conteúdo da mensagem, devemos ainda considerar, as políticas para manter e reter clientes, uma vez que eles garantem a sobrevivência do negócio.

Nossas conclusões são de que marketing é coisa para especialista e que problemas não se solucionam com ações pontuais e sim com processos que necessitam de reavaliações permanentes e uma definição clara de quem é o público-alvo, que pretendemos atingir.

4.00 avg. rating (85% score) - 4 votes


Luis Carlos Zarpelon

Ex gerente de marketing da Coca Cola, professor de marketing e consultor de marketing e comunicação.


Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*